Referência internacional em serviço público de saúde.
Referência internacional em serviço público de saúde.

História

Acreditando no poder da superação, um grupo de pais e mães resolveu dar forma à esperança de uma melhor qualidade de vida para eles e seus filhos portadores de câncer. Há 30 anos, eles se reuniram para ajudar os lares marcados pela exclusão social. Juntas, na Pediatria do Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF), local do tratamento às crianças, essas famílias dividiam experiências e força de vontade para ir em frente. Mas, desde 1986, aquelas com melhores condições sociais e econômicas, com apoio dos profissionais da pediatria do Hospital de Base, passaram trabalhar para que unidas pudessem trazer a alegria da cura de seus filhos para outros. Assim, o primeiro passo foi criar a Associação Brasileira de Assistência às Famílias de Crianças Portadoras de Câncer e Hemopatias (Abrace).

Porém, não bastava somente existir um grupo que lutasse por eles, mas também era necessário ter um local específico para isso. Há três décadas  a Abrace garante um ambiente propício ao tratamento de crianças e adolescentes com câncer e doenças do sangue, proporcionando a eles e suas famílias amparo social e material durante todo o processo em busca da cura: a Casa de Apoio.

É um local para hospedagem da Abrace, localizado no Guará (DF), feito para crianças e acompanhantes que não moram no Distrito Federal. Mas, além disso, também oferece melhorias nas casas de pacientes residentes em Brasília. A associação também auxilia esses jovens e suas famílias custeando despesas como transporte, medicamentos e alimentação e oferecendo assistências odontológica e psicológica. O resultado de tanto carinho e dedicação se traduz em sorrisos e na assiduidade dos pacientes ao longo destes 30 anos. O índice de cura do câncer infantil e das doenças do sangue passou de menos de 50% para 70%. Já a porcentagem de abandono do tratamento, antes de 28%, caiu para zero.

Esses índices só se tornaram realidade porque o sonho da Abrace não terminou nesse gesto de amparo. Os esforços dos pais e mães dos pequenos pacientes eram insuficientes diante da difícil situação encontrada no Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF) e no Hospital de Apoio de Brasília (HAB).

Na época, as crianças e adolescentes ficavam em enfermarias coletivas no HBDF, cujo atendimento ambulatorial estava estruturado para adultos. Quando era preciso acionar esse serviço, eles eram transferidos para outro hospital, o HAB, fragmentando ainda mais o serviço e criando dificuldades ao tratamento complexo de um paciente com câncer. Por se tratar de um hospital geral com emergência aberta, crianças e adolescentes também não tinham acesso ao centro cirúrgico do HBDF, pois as vagas para cirurgia são prioridade para politraumatizados. Além do mais, era difícil fazer exames por imagem nesses pacientes, pelo tempo a mais que demandam em relação aos adultos.

Diante de tamanhas dificuldades, a Abrace percebeu que era preciso oferecer mais que a acolhida na Casa de Apoio. Os pais e mães desses meninos e meninas mobilizaram a sociedade civil e moveram esforços para a construção de um centro especializado com infraestrutura e recursos plenos, capaz de gerenciar de forma eficiente o tratamento integrado do paciente pediátrico. Então, o que foi pensado em 1995, tomou forma: em 2000, a Abrace obteve a designação do terreno de um novo hospital junto à Secretaria de Estado da Saúde do Distrito Federal (SES/DF). No mesmo ano, a instituição iniciou os primeiros desenhos arquitetônicos. Ainda chamado de Instituto Pediátrico, o Hospital da Criança teve sua construção dividida em dois ambientes complementares, próprios ao público infanto-juvenil. No Bloco I, os jovens pacientes teriam à disposição uma série de serviços como consultas, cirurgias ambulatoriais, diagnóstico básico e por imagem, quimioterapias, processos de depuração do sangue como a diálise peritoneal e a hemodiálise, além de procedimentos ambulatoriais sob sedação. Já o Bloco II compreenderia serviços como internação, cirurgias e diagnóstico especializado, além de setores como a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e o Centro de Ensino e Pesquisa.

No dia 19 de 2004, a Abrace e a SES/DF assinaram um convênio para a construção dos dois blocos do complexo médico-hospitalar. Em 2005, a ideia do bloco I saiu do papel com a ajuda de pessoas físicas e jurídicas que doaram recursos para a Abrace. A compra de móveis e equipamentos contou com recursos da sociedade civil, por meio de doações e campanhas, além de repasses da SES/DF e dos Ministérios Público do Trabalho e da Saúde. Em dezembro de 2008, o bloco I ficou pronto ao custo de R$ 15 milhões, transformando o sonho em realidade.

Enfim, o primeiro contrato de gestão do Hospital foi efetivado entre a Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal e o Icipe em 28 de junho de 2011. Nele, o instituto se compromete a organizar, implantar e gerir as ações de saúde do HCB, colocando-o para funcionar em até 90 dias. O curto prazo para as contratações de pessoal e de serviços exigiu da Abrace mais um esforço. Ela precisou custear as despesas com recrutamento de pessoal, vigilância, telefonia, higiene e limpeza para que a legislação de aquisições e contratações fosse cumprida. Assim, a partir de 1° de julho, os primeiros funcionários começaram a ser admitidos, e, com eles, surgiam as primeiras reuniões do corpo funcional do hospital.

Serviços

Nosso objetivo é sempre reabilitar, elevar a auto-estima e preparar a criança ou adolescente para retornar à sua casa e ao convívio em família. Aqui, todos são vistos mais do que como pacientes, mas sim como pessoas que merecem carinho, amor e tratamento de qualidade.

Por isso, além das especialidades pediátricas, o Hospital também conta com um Programa de Voluntariado, estruturado em parceria com a Abrace, que proporciona momentos de bem-estar, apoio aos familiares e atividades recreativas às crianças e aos adolescentes em tratamento. Atualmente são mais de 270 voluntários divididos em 16 grupos que promovem desde brincadeiras, até terapias integrativas como Reiki e atividades para os próprios familiares.

Como funciona nosso atendimento?

Chegada

A criança é atendida em um posto de saúde ou em um hospital da rede pública

Encaminhamento

Caso ela precise de consulta especializada, ela é encaminhada pelo pediatra para marcação de consulta na central de regulação

Consulta

A central de regulação faz a marcação de consulta no HCB

Conheça também outros serviços, exames e tratamentos oferecidos:

Alergia
Anestesiologia
Cardiologia
Cirurgia pediátrica
Dermatologia
Endocrinologia
Gastroenterologia
Genética clínica
Ginecologia infanto-puberal
Homeopatia
Imunologia
Infectologia
Nefrologia

Neurocirurgia
Neurologia
Onco hematologia
Ortopedia
Pneumologia
Psiquiatria
Psicologia
Reumatologia
Odontologia
Fisioterapia
Fonoaudiologia
Farmácia
Nutrição

Oferecemos quase todas as especialidades pediátricas:

Hemodiálise
Diálise peritoneal
Musicoterapia
Terapia ocupacional
Farmácia
Serviço social
Exames laboratoriais
Ecografia – com e sem doppler
Ecocardiograma Transtorácico
Raio-X Digital
Tomografia Computadorizada
Multislice de 64 canais
Endoscopia Digestiva Alta

Colonoscopias
Eletroencefalograma
Potencial Evocado
Eletroneuromiografia
Espirometria
Tilt-Test
Teste de Esforço
Holter
MAPA
Curvas Hormonais
Phmetria Esofágica
Eletrocardiograma

Oferecemos quase todas as especialidades pediátricas:

Conheça também outros serviços, exames e tratamentos oferecidos:

Alergia
Anestesiologia
Cardiologia
Cirurgia pediátrica
Dermatologia
Endocrinologia
Gastroenterologia
Genética clínica
Ginecologia infanto-puberal
Homeopatia
Imunologia
Infectologia
Nefrologia

Neurocirurgia
Neurologia
Onco hematologia
Ortopedia
Pneumologia
Psiquiatria
Psicologia
Reumatologia
Odontologia
Fisioterapia
Fonoaudiologia
Farmácia
Nutrição

Hemodiálise
Diálise peritoneal
Musicoterapia
Terapia ocupacional
Farmácia
Serviço social
Exames laboratoriais
Ecografia – com e sem doppler
Ecocardiograma Transtorácico
Raio-X Digital
Tomografia Computadorizada
Multislice de 64 canais
Endoscopia Digestiva Alta

Colonoscopias
Eletroencefalograma
Potencial Evocado
Eletroneuromiografia
Espirometria
Tilt-Test
Teste de Esforço
Holter
MAPA
Curvas Hormonais
Phmetria Esofágica
Eletrocardiograma

Conheça melhor os números do ICIPE